Sobre a difícil decisão de trabalhar fora depois que o bebê nasce

amirali-1430219-1279x1923

Olha, acho que desde que descobri que estava grávida, já comecei a sofrer por antecipação sobre o dia que ia ter que sair para o trabalho e deixar o bebê em casa ou na escolinha. E confesso que até hoje invejo muito as mães que conseguiram fazer arranjos dos mais diversos que as fazem passar mais tempo com seus bebês.

Acontece que eu gosto muito do meu trabalho e deixar de trabalhar mesmo que temporariamente não me parecia muito legal. Na verdade até mesmo durante a licença maternidade eu sentia falta de sair e ir trabalhar. Meu trabalho tem também muitas facilidades como é bem perto de casa (infelizmente não o suficiente para que eu possa ir almoçar) e tem horários bem razoáveis. Não é sempre que tenho que ficar até mais tarde ou trabalhar aos fins de semana.

Claro que a culpa de deixar meu filho em casa com a babá sempre me persegue (a mãe que não sente alguma culpa que atire a primeira pedra!), mas tenho um mantra – fazer o  tempo que eu e o Mateus passamos juntos valer muito. Por isso quando chego em casa, mesmo cansada, tiro os sapatos e me jogo no tapetinho de E.V.A. que tomou conta da minha sala junto com os brinquedos. Ali brincamos, dou milhões de abraços e beijos e aproveito para matar a saudade que me corrói o dia inteiro.

No fim de semana também procuro aproveitar ao máximo. Até as vezes tenho dificuldades de fazer as minhas coisas (é porque tem sempre alguma coisa!) porque não quero ficar longe. Mas vamos na natação, brincamos, passeamos bastante.

Uma coisa importante pra quem passou ou passa a mesma situação é ter muita confiança na escolinha ou cuidadora. Saber que o bebê está sendo bem cuidado é essencial pra conseguir realizar bem o seu trabalho . Claro que a gente pode e deve ligar sempre que quiser para checar como estão as coisas. Mesmo para os bebês pequenos que ainda não falam no telefone.

No final o importante é estar certa de que tomou a melhor decisão para a família toda e fazer com que os momentos juntos não passem tão rápido!

E você? Qual é o arranjo que você tem em casa?

Como estimular o bebê a engatinhar

a-beautiful-little-little-boy-2-1433048-1279x1917

Assim como sentar e andar,  a fase de engatinhar ou tentar se locomover é muito importante para o bebê. O Mateus quando tinha uns 8 meses só lagarteava pela casa. Se locomovia com os braços e a barriga no chão. Foi só com uns 10 meses que ele começou a engatinhar mesmo e logo já começou a ficar em pé segurando no sofá. Hoje ele está com um aninho e está mestre em engatinhar (vai super rápido que as vezes nem eu alcanço!) e está se preparando para andar.

Continue lendo